Secao-Brasil-Conselho-mundial-agua

Tenho abordado nas páginas desta conceituada revista “Águas do Brasil”, temas relacionados ao Conselho Mundial da Água, de modo geral, e tratado sobre a participação brasileira nos Fóruns Mundiais da Água, em particular. Como sabemos o Fórum Mundial da Água, realizado a cada três anos, é a principal realização do Conselho Mundial da Água e tem se transformado no maior evento do planeta tema da água.

Em face ao crescente interesse de instituições brasileiras no Conselho Mundial da Água, e, por conseguinte, nos fóruns mundiais por ele promovidos, foi formalmente constituída a Seção Brasil do Conselho Mundial da Água, que já reúne 46 instituições dos mais significativos setores afetos ao tema, das quais 33 já formalmente filiadas ao Conselho Mundial da Água.

Investido na função de Coordenador da Seção Brasil, é com satisfação que acompanho o crescente interesse de instituições em participar deste grupo, com reflexo direto no aumento do número de membros brasileiros nos quadros do Conselho Mundial da Água, e na ampliação do número de representantes no Comitê de Governadores – grupo de conduz os rumos do referido Conselho.

Reflexo disto são as reuniões ordinárias, que têm mostrado o fortalecimento da Seção Brasil tanto no âmbito interno, com uma grande interação entre as instituições partícipes, como no âmbito externo, no relacionamento com o Conselho Mundial da Água. Um novo desafio que se apresenta é a possibilidade do fortalecimento da articulação regional, notadamente com instituições Sul-americanas. Em breve espero poder relatar os resultados desta iniciativa.

Para exemplificar o crescimento da participação brasileira no Conselho, em abril de 2010, quando pela primeira vez o Brasil conquistou duas das trinta e seis cadeiras de Governador, possuía nos quadros do Conselho treze membros efetivos. Hoje, quase três anos depois, já somos trinta e três membros efetivos e, na 6a Assembleia Geral, a ser realizada em novembro de 2012 em Marselha, apresentaremos candidatura para quatro cadeiras – número máximo permitido por país.

Nesse cenário, nossa expectativa é que na gestão do Comitê de Governadores para o triênio 2012-2015 o país possa estar representado nos seguintes colégios: i) Governos e Autoridades de Governo; ii) Empresas e Prestadoras de Serviços; iii) Sociedade Civil e Usuários de Água; e iv) Associações Profissionais e Academia.

A Assembléia Geral tem uma grande relevância para os destinos do Conselho. Em sua sexta edição, além da eleição do Comitê de Governadores para o período 2012- 2015, será aprovado pelos membros a Estratégia Trienal 2013-2015 e os Governadores eleitos terão a incumbência de eleger o próximo Presidente do Conselho entre seus pares.

Para maximizar a atuação da Seção Brasil e para que possamos “influir na agenda temática e política do Conselho Mundial da Água”, conforme estabelece o inciso iv do Art. 4o do seu Regimento Interno, é fundamental que haja um grande envolvimento de todos os membros, o que exercitamos recentemente por ocasião da 10a Reunião Ordinária realizada na Sede do DAEE, em São Paulo. Para tanto, foi deflagrado um processo de consulta sobre temas relevantes a ser proposto pela Seção Brasil para inserção na Estratégia Trienal 2013-2015 do Conselho.

A Coordenação da Seção Brasil organizará as contribuições, que serão priorizadas para serem apresentadas ao Conselho como contribuição brasileira para sua atuação nos próximos três anos. Além disso, foi dado início a preparação de uma agenda de trabalho para a Seção Brasil, para o mesmo período, que, entre outros objetivos, visa preparar a participação brasileira no 7o Fórum Mundial da Água, a ser realizado na Coreia do Sul em 2015.

Finalizo este artigo conclamando o envolvimento da sociedade brasileira nesta iniciativa, buscando uma participação institucional ainda maior e que reflita a relevância do tema água na agenda de desenvolvimento do país. Aproveito este espaço para convidar a sua instituição a fazer parte deste grupo. Procure-nos!

Secao-Brasil-Conselho-mundial-agua_fundo

Ricardo-Mendes-de-Andrade

RICARDO MEDEIROS DE ANDRADE
ricardo.andrade@ana.gov.br

Ricardo Medeiros de Andrade, Engenheiro Civil, graduado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte em 1993. Atualmente é Superintendente de Implementação de Programas e Projetos da Agência Nacional de Águas e desde 2009 é Governador-Suplente do Brasil junto ao Conselho Mundial da Água. Exerce ainda a função de Coordenador da Seção Brasil do Conselho Mundial da Água para o período 2012-2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *